Certeza olhou no espelho e não se viu. Em desespero foi-se a andar, não sabendo se havia alguém que lhe pudesse ajudar.

Já desnorteada em busca de si, esbarrou com Dúvida, chegando inclusive a cair. Porque não me vi? Será que deixei de ser quem sou?

Dúvida indignada, resperguntou ao se levantar: Mas quem é você? Se não vê por onde anda e tropeça como sabe se se olhou para ver, sem toda essa pressa? O choque machucou e a queda feriu, mas Certeza continuou  a andar e até refletiu.

De ouvir falar, com Tempo foi se aconselhar e as questões outra vez apresentar. Tempo quase nada pode fazer, mesmo com toda sua experiência, mas a ela indicou uma irmã de Ciência:

– “Certeza, para o que quer, só quem pode ajudar é quem eu vou lhe indicar. Continue o caminho e Paciência vai encontrar.

L. E Vazper

*Poesia enviada por email pelo autor. ( Vazper, seja bem vindo para ler o mundo de forma poética conosco)

Comente com seu perfil do Facebook